• Home
  • Notícias
  • Pages
  • Sem perrengue? Como a inteligência artificial pretende te ajudar em viagens – UOL

Sem perrengue? Como a inteligência artificial pretende te ajudar em viagens – UOL

“Quero andar de bicicleta amanhã e partir de um determinado local. O passeio deve durar no máximo três horas e oferecer às crianças oportunidade para brincar ao longo do caminho. Depois, quero tomar sorvete.”
Dicas simples, como encontrar uma sorveteria em um percurso desconhecido, se não forem repassadas por um conhecido, por um centro de informações turísticas ou um guia de viagem clássico, ainda são difíceis de se encontrar na internet.
“As informações do Google são muitas vezes incompletas ou desatualizadas. Por exemplo, às vezes não dá para saber se a sorveteria está aberta”, explica Michael Prange, professor de ciência de dados da Universidade de Kiel.
Juca Kfouri
A Neymar o que é de Neymar quando ele acerta
José Paulo Kupfer
Consumo e serviços impulsionam o PIB
Carla Araújo
PF vai indiciar Bolsonaro nos próximos dias
Kennedy Alencar
Congresso pressiona STF e drena forças do governo
Prange está convencido de que a inteligência artificial tornará o planejamento de viagens cada vez mais fácil. Pois no futuro todos poderão levar seu guia de viagens inteligente no bolso, na forma, por exemplo, de um aplicativo no celular. No entanto, o bom funcionamento desses sistemas inteligentes vai depender muito das informações que eles podem acessar. “Os dados são a base”, diz Prange.
O Centro de Turismo Alemão, conhecido pela sigla DZT, que vende a Alemanha como destino turístico, se esforça para criar uma base de dados padronizada para o turismo no país. “As plataformas globais de vendas de viagens e passagens já estão usando IA para encontrar ofertas turísticas adequadas para seus clientes e exibi-las de maneira direcionada”, diz Petra Hedorfer, CEO do DZT. No entanto, essas ofertas só podem ser encontradas se os dados forem processados adequadamente.
Tobias Blask, professor da Universidade de Ciências Aplicadas de Harz, também enfatiza a grande importância da base de dados para aplicativos de IA. “Esse ainda é um campo totalmente subdesenvolvido”, diz ele.
As agências de atividades turísticas e os destinos que desejam ser notados precisam pensar em como podem disponibilizar e otimizar seus dados. “Tudo está se desenvolvendo muito rapidamente no momento. A IA influenciará tudo em nossa sociedade.”
Para os turistas, isso tem um impacto no planejamento de viagens. Blask prevê uma espécie de “companheiro de viagem para toda a vida” que faz sugestões com base em decisões e interações anteriores.
Se eu planejar uma viagem e puder contar com uma IA que me entende e foi treinada para isso, então, por que ainda preciso de um agente de viagens? Tobias Blask, professor da Universidade de Ciências Aplicadas de Harz
No futuro, quem viaja a trabalho também poderá se beneficiar de aplicativos de IA que cuidam de tudo, do planejamento à remarcação de compromissos e reservas, se algo der errado. “Suponhamos que eu perca o trem”, diz Blask: “seria muito melhor se um aplicativo se encarregasse de encontrar uma nova conexão e me informasse proativamente.”
Os aplicativos de IA no turismo não são, de forma alguma, novos. As cadeias de hotéis, as plataformas de reservas e as companhias aéreas, por exemplo, contam com sistemas de aprendizado de máquina para a determinação de preços há algum tempo.
Os chatbots já assumiram as primeiras etapas do atendimento ao cliente como padrão em muitas empresas de turismo antes que um humano se envolva —se é que ainda se envolve, pois o chatbot geralmente resolve o problema.
Esse também é o caso da DZT, onde os chatbots de autoaprendizagem respondem às perguntas dos clientes 24 horas por dia e, assim, liberam os funcionários das tarefas rotineiras. “Atualmente, estamos trabalhando em um projeto piloto para introduzir influenciadores virtuais —figuras criadas artificialmente que devem funcionar como mídia publicitária. Com a ajuda de aplicativos de IA, eles podem atuar como embaixadores para construir pontes entre potenciais viajantes para a Alemanha e oferecer experiências reais de viagem”, informa a DTZ.
Newsletter
BARES E RESTAURANTES
Toda quinta, receba sugestões de lugares para comer e beber bem em São Paulo e dicas das melhores comidinhas, de cafés a padarias.
“A IA já atua no gerenciamento de destinos em vários lugares do mundo”, explica Eric Horster, professor de Turismo Internacional da West Coast University e membro do Instituto Alemão de Pesquisa em Turismo.
Na Baía de Lübeck, no Mar Báltico, por exemplo, há placas pela praia projetadas para controlar o número de visitantes e evitar que uma determinada área da orla fique superlotada. O número de pessoas é checado por sensores, que registram o número de visitantes da praia.
O clima e o dia da semana também são levados em conta e analisados por meio de algoritmos para prever a utilização futura. Isso não é uma vantagem apenas para os banhistas, mas também para os destinos e seu negócios, que recebem informações importantes sobre o comportamento dos turistas.
No entanto, Horster ainda duvida que o “guia de férias inteligente” de bolso mude realmente a maneira como viajamos. “Não tenho certeza se é isso que os turistas realmente querem”.
Afinal, o turismo também prospera por propiciar contato entre pessoas. É por isso que o bom e velho centro de informações turísticas ainda está em funcionamento. As surpresas, o inesperado, o autêntico também fazem parte das férias. “Será esse o futuro das viagens, saber tudo com antecedência e ter tudo planejado? Faz parte da experiência sair de bicicleta por aí a procurar uma sorveteria aberta.”
Juca Kfouri: A Neymar o que é de Neymar quando ele acerta
Defesa pede que perícia verifique se filho de Moraes agrediu empresário
Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban completa 20 anos. Faça o quiz
Portugal restringe visto de trabalho; como isso afeta brasileiros?
Igreja em Roma tem afrescos com palavrão e até santo da auréola quadrada
Sem perrengue? Como a inteligência artificial pretende te ajudar em viagens
Ozempic está mudando a cara de cidade nórdica que foi ‘berço’ do babyliss
Não durma antes de o avião decolar! Comissária dá esta e mais dicas a bordo
Descida a 30km/h em 40 segundos: Áustria tem tobogã ‘escondido’ em montanha
Com técnicas de civilizações antigas, praia do Bonete vê sua pesca renascer
Você sabe onde ficam estas estátuas e monumentos? Faça o quiz e descubra
Bíblia estava certa: escavações de muralha em Jerusalém comprovam passagem
Tentativa de resgate do ‘Titanic dos Alpes’ em lago da Suíça fracassa
Fotos incríveis: 10 casas com piscina de borda infinita para se hospedar
Como é o santuário de Santa Catarina que ganhou raro título do papa
Assine UOL
Telefone
4003-6118
Capitais
0800 703 300
Demais localidades
Baixe nossos apps
1996 – 2024 UOL – O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados. Segurança e privacidade

source

Compartilhe:

Picture of Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria, aos 27 anos, é a mente criativa por trás da produção de textos da Kriahtiva. Com uma paixão inigualável pelo universo online, seus textos são faróis de inspiração, navegando pelos mares do marketing digital com inovação e expertise. Em cada artigo, ele transforma conceitos complexos em leituras envolventes, guiando os leitores por uma jornada única de descobertas no vasto mundo do marketing.

Sobre o autor

Picture of Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria, aos 27 anos, é a mente criativa por trás da produção de textos da Kriahtiva. Com uma paixão inigualável pelo universo online, seus textos são faróis de inspiração, navegando pelos mares do marketing digital com inovação e expertise. Em cada artigo, ele transforma conceitos complexos em leituras envolventes, guiando os leitores por uma jornada única de descobertas no vasto mundo do marketing.

Veja também

mais acessados

On Key

Related Posts

Sem perrengue? Como a inteligência artificial pretende te ajudar em viagens – UOL