• Home
  • Notícias
  • Pages
  • Reuniões na praia, decisões na nuvem: Inteligência Artificial como co-CEO* – Investnews

Reuniões na praia, decisões na nuvem: Inteligência Artificial como co-CEO* – Investnews

Pesquisa mostra que quase metade de executivos C-Level considera que seu trabalho pode ser substituído por IA. E isso é muito bom
Eric Yuan, fundador e CEO da Zoom, disse em uma entrevista recente que está cansado de gastar seus dias em reuniões e respondendo e-mails. Sim, até quem comanda a empresa que virou sinônimo de videoconferência não vê necessidade de participar de tantas delas. Yuan prevê — e diz que sua companhia está trabalhando para realizar essa visão — que, em um futuro próximo, não precisará entrar na maior parte das reuniões. “Vou poder mandar uma versão digital minha e ir à praia”, disse.
Sua visão de “gêmeo digital” não serviria só para reuniões. Ele acredita que uma Inteligência Artificial bem treinada leria e responderia a maioria dos e-mails — passando para ele responder apenas dois ou três por dia que realmente merecessem uma decisão mais complexa ou input cuidadoso.
A ideia de uma versão digital – controlada por inteligência artificial e capaz de assumir as atribuições de um chefe – não é nova. Jack Ma, fundador da Alibaba, previu em 2017 que em 30 anos “um robô estaria na capa da Time como CEO do ano”.
Com o avanço de ferramentas como o ChatGPT, a ideia que parecia absurda começa a ser compartilhada por muitos líderes. Uma pesquisa da plataforma de educação EdX feita com 800 executivos C-Level mostrou que quase metade (47%) considera que “a maior parte” ou “todo” o trabalho de um CEO pode ser completamente automatizado ou substituído por IA. Entre os CEOs consultados, o nível de concordância é ainda maior (49%).
LEIA MAIS: Inteligência artificial passa a ocupar cargos de decisão em empresas. A sério
Mas como seria, na prática, usar a IA para substituir um CEO? Podemos ter pistas disso em exemplos pontuais mundo afora. A Nail Communications, uma agência de Relações Públicas nos EUA,  tinha um problema de ter um cliente com um CEO microgerenciador. Era um daqueles gestores que precisam olhar qualquer peça ou comunicado, o que travava a aprovação e entregas. Para evitar atrasos, a empresa criou o que chamou de “versão sintética” do CEO — uma espécie de GPT customizado, treinado com dados reais, incluindo questionários, entrevistas e histórico de aprovações. As novas peças começaram a ser “pré-aprovadas” pela versão artificial do chefe, que gostou da ideia.
“O resultado foi um modelo que tem sua perspectiva única, permitindo testar ideias, antecipar feedbacks e verificar se estamos muito fora do caminho. Tudo isso enquanto dá ao cliente uma presença e influência no processo criativo que nunca tiveram antes”, contaram os executivos da empresa.
Em um sentido mais amplo, pensando em aprendizado de máquina, o CEO pode ser visto como um “algoritmo de decisão”. O trabalho que envolve analisar dados e relatórios para fazer uma escolha pode ser executado por uma IA bem treinada no domínio específico da companhia, com histórico e exemplos anteriores, prioridades etc. Os grandes modelos de linguagem (LLMs), como ChatGPT e Copilot, podem auxiliar a transformar dados não-estruturados — apresentações, entrevistas, gravação de reuniões — em informações legíveis por esses algoritmos.
Soa técnico demais? Se você ainda não fez, pode ter uma amostra de como isso funciona no próprio ChatGPT. Experimente subir uma apresentação em PowerPoint na janela de chat com os resultados trimestrais da sua empresa e peça para ele assumir o papel de CEO ou CFO. Comece a fazer perguntas estratégicas, pedindo o racional para cada sugestão. Veja o quanto as decisões batem com o que está sendo decidido na sala de reuniões principal. De repente, a ideia não parece tão absurda.
Para alguns, como o CEO da Zoom, o prospecto de um avatar decisor pode ser animadora. Para outros, pode significar uma diminuição da importância — e potencialmente do status e rendimento. Afinal, se o ChatGPT pode dizer qual caminho maximiza o lucro e a sua versão “sintética” pode aprovar a campanha mais aderente à nova estratégia, o que sobra para o executivo de carne e osso?
Muito ainda. De acordo com estudo publicado na Harvard Business Review, privilegia-se cada vez mais as soft skills na hora de contratar para cargos de liderança em grandes empresas. Comunicação eficaz, empatia, capacidade de resolução de conflitos, adaptabilidade e liderança inspiradora são atributos que são difíceis de visualizar em uma IA. Focar nelas – e menos na habilidade em ler planilhas e relatórios para tomar decisões – pode ser um raro ganha-ganha. Ao menos por enquanto.
*Este título foi sugerido pelo ChatGPT depois de ler o texto.

Veja também
Pedro Burgos é professor do Insper e fundador da Co.Inteligência, consultoria em IA. Jornalista, tem mestrado pela City University of New York e desde 2016 alia comunicação e programação em projetos, como o Impacto.jor (financiado pelo Google News Initiative) e a coordenação da pós-graduação em Jornalismo de Dados do Insper, onde foi coordenador do núcleo de Inteligência de Dados.
Inteligência artificial passa a ocupar cargos de decisão em empresas. A sério
‘Rival’ de Sam Altman, cofundador da OpenAI cria nova empresa, a Safe Superintelligence
Entenda como a Nvidia bateu Apple, Microsoft e se tornou a empresa mais valiosa do mundo
Com rali de alta da Nvidia, insiders vendem mais de US$ 700 milhões em ações neste ano
O desafios de sete empresas brasileiras negociadas na Bolsa de Nova York
Governo contrata criadora de ChatGPT para tentar diminuir impacto fiscal de perdas judiciais
O melhor do InvestNews no seu e-mail.
Uma curadoria especial com o que você precisa saber antes de começar o dia.
*Ao clicar em “Inscreva-se” você estará concordando com a Política de privacidade.
O InvestNews é um veículo multiplataforma empenhado em oferecer jornalismo e informação útil para navegar nos mundos da economia, negócios, finanças, investimentos e tecnologia. Com foco em fornecer conteúdo de qualidade de maneira clara e breve, buscando tornar mais simples o entendimento de assuntos complexos e facilitar a vida da audiência.
AVISO: O portal www.investnews.com.br é de propriedade da Nu Brasil Serviços Ltda. (CNPJ: 46.676.214/0001-83), empresa pertencente ao Grupo Nubank. O Grupo Nubank exerce as seguintes atividades: instituição de pagamentos, corretora de valores, gestora de recursos de terceiros, plataforma de criptoativos, sociedade de crédito, financiamento e investimento, entre outras. Os conteúdos e opiniões veiculados são independentes e elaborados com informações públicas, não sofrendo influência de qualquer tipo das áreas técnicas ou comerciais do grupo, sendo produzidos conforme os juízos de valores e convicções da equipe jornalística do portal. Os conteúdos disponibilizados no IN são meramente jornalísticos e/ou informacionais e não devem ser interpretados como recomendações de investimentos, de compra ou venda de valores mobiliários ou análises exclusivas ao exercício de analistas de valores mobiliários. A Nu Brasil Serviços Ltda. não se responsabiliza por decisões de investimentos tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer perdas, danos e/ou prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização dos materiais ou seu conteúdo.
 
© 2024 Investnews. Todos os direitos reservados.

source

Compartilhe:

Picture of Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria, aos 27 anos, é a mente criativa por trás da produção de textos da Kriahtiva. Com uma paixão inigualável pelo universo online, seus textos são faróis de inspiração, navegando pelos mares do marketing digital com inovação e expertise. Em cada artigo, ele transforma conceitos complexos em leituras envolventes, guiando os leitores por uma jornada única de descobertas no vasto mundo do marketing.

Sobre o autor

Picture of Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria, aos 27 anos, é a mente criativa por trás da produção de textos da Kriahtiva. Com uma paixão inigualável pelo universo online, seus textos são faróis de inspiração, navegando pelos mares do marketing digital com inovação e expertise. Em cada artigo, ele transforma conceitos complexos em leituras envolventes, guiando os leitores por uma jornada única de descobertas no vasto mundo do marketing.

Veja também

mais acessados

On Key

Related Posts

Reuniões na praia, decisões na nuvem: Inteligência Artificial como co-CEO* – Investnews