• Home
  • Notícias
  • Pages
  • Papa participará dos debates do G7 sobre Inteligência Artificial; entenda – CNN Brasil

Papa participará dos debates do G7 sobre Inteligência Artificial; entenda – CNN Brasil

seg – sex

Apresentação

Ao vivo
A seguir
Pontífice usa diplomacia do vaticano para contribuir em dilemas éticos do desenvolvimento tecnológico
Christopher Lambda CNN*

Uma imagem do Papa Francisco vestindo uma elegante jaqueta branca viralizou no ano passado, gerando uma enxurrada de comentários sobre sua escolha de roupas e até mesmo perguntas sobre se ele tinha um estilista. Mas havia um problema: a imagem era uma “deepfake” criada com inteligência artificial.
Esta semana, o papa deverá fazer uma intervenção histórica no debate em torno da IA ​​na cúpula do G7 na região de Puglia, no sul de Itália. Na sexta-feira, Francisco se tornará o primeiro papa a participar da cúpula dos líderes das economias mais avançadas do mundo, quando se envolverá numa sessão dedicada à IA. O presidente dos EUA, Joe Biden, um católico que tem um relacionamento caloroso com Francisco, está entre os líderes que deverão estar presentes no encontro.
O pontífice de 87 anos está determinado a usar o poder diplomático do seu cargo para tentar garantir que o desenvolvimento da IA ​​sirva a humanidade e não se transforme num Frankenstein do século XXI.
Para o papa, que quando jovem se formou como químico, os desenvolvimentos na ciência e na tecnologia são bem-vindos; ele acredita que a IA oferece novas oportunidades interessantes. Mas o papa também prevê alguns riscos graves.
Leia Mais
Numa mensagem divulgada no final do ano passado, ele alertou que uma “ditadura tecnológica” poderia surgir se não fosse implementada regulamentação suficiente, destacando as ameaças representadas pelos sistemas de armas controlados pela IA e os perigos que a tecnologia representa ao ser mal utilizada para uma sociedade de vigilância e em interferências eleitorais. A IA, acredita o Papa, só pode tornar o mundo um lugar melhor se servir o “bem comum” e não aumentar as desigualdades.
O Papa e o Vaticano têm pressionado por um quadro ético para sustentar o desenvolvimento e a utilização da IA. Desde 2020, a Pontifícia Academia para a Vida do Vaticano, um órgão que defende os ensinamentos morais católicos sobre bioética, tem promovido o “Roma Call for AI Ethics”, um documento que estabelece seis princípios para a ética da IA, entre eles transparência, inclusão, responsabilidade e imparcialidade. .
O Vaticano está buscando a adesão de grandes empresas de tecnologia e governos. Até agora, o documento foi assinado pela Microsoft, IBM e Cisco Systems, juntamente com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, o ministério da inovação de Itália e vários líderes religiosos.
Na cúpula do G7, espera-se que o Papa exorte os líderes mundiais a trabalharem em conjunto na regulamentação da IA, fazendo eco do seu apelo no final do ano passado para um “tratado internacional vinculativo” para prevenir práticas prejudiciais e encorajar bons usos. Os legisladores da União Europeia já aprovaram uma lei que regulamenta a IA, enquanto um grupo bipartidário de senadores dos EUA estabeleceu planos para a regulamentação da IA ​​que poderão levar à criação de uma legislação federal.
“O papa não é engenheiro, mas está preocupado com os aspectos sociais e as implicações da IA”, disse à CNN o padre Paolo Benanti, frade franciscano e professor que tem trabalhado com o Vaticano na questão da IA. Benanti também é membro de um órgão consultivo da ONU sobre IA. No G7, ele espera que o papa enfatize elementos de suas mensagens anteriores sobre o assunto.
“A abordagem central de Francisco foca no que as novas tecnologias significam para a nossa coexistência: quais os elementos da IA ​​que estão causando desigualdade para a humanidade e tópicos como a distribuição de notícias falsas em ambientes públicos. Ele adota uma perspectiva global e vê que o Sul global não tem o mesmo acesso à tecnologia que outras partes do mundo.”
Benanti disse que Francisco era sensível aos “grandes desafios que a humanidade enfrenta”, observando que começou o seu papado destacando a situação dos migrantes. Ele também abordou a ameaça representada pelas alterações climáticas num importante documento papal e agora está concentrado na IA, acrescentou Benanti.
O Arcebispo Vincenzo Paglia, presidente da Pontifícia Academia para a Vida, disse à CNN que “somente a regulamentação a nível internacional pode produzir resultados válidos ​​para impedir o abuso, a manipulação e a instrumentalização” das novas tecnologias. O impulso da academia para uma IA mais ética, acrescentou, procura garantir um “caminho de desenvolvimento sustentável para toda a humanidade”.
A Itália, que atualmente ocupa a presidência rotativa do G7, proibiu no ano passado o ChatGPT, um chatbot e assistente virtual, por questões de privacidade e tem planos para penalizar o uso indevido de IA.
Giorgia Meloni, primeira-ministra de Itália, disse acreditar que a presença do papa na Puglia “dará uma contribuição decisiva para a elaboração de um quadro regulamentar ético e cultural” para a IA. Ela disse que era crucial aproveitar as “melhores reflexões éticas e intelectuais” nesta área, acrescentando que o “Chamado de Roma para a Ética da IA” estava ajudando a criar a ideia de “algorética” – ética para algoritmos.
A decisão de Francisco de se tornar o primeiro papa a participar numa cúpula do G7 sinaliza o seu desejo de estar onde o “verdadeiro debate realmente acontece”, publicou o conselheiro papal, Padre Antonio Spadaro, no X, antigo Twitter.
Enquanto estiver na Puglia, Francisco terá a oportunidade de conversar diretamente com os tomadores de decisão, o que sublinha a visão do papa de uma Igreja que se envolve com o mundo, em vez de se afastar dele.
Padre Philip Larrey, autor de um livro sobre IA, “Humanidade Artificial”, e ex-reitor do Departamento de Filosofia da Pontifícia Universidade Lateranense de Roma, descreveu a decisão de Francisco de participar como “bastante surpreendente”, mas uma decisão que Larrey acredita que “influenciará o resultado” da cúpula.
“A IA e as tecnologias emergentes estão na tela do radar do Papa Francisco”, disse Larrey, agora professor de filosofia no Boston College, à CNN. “(Ele) quer usar a riqueza da tradição católica para ponderar sobre a importância de refletir sobre as implicações éticas da IA. E a sua presença pessoal na (Puglia) atesta a urgência dessa mensagem: ele refere-se frequentemente à ‘IA centrada na pessoa’ para defender o seu ponto de vista.”
A imagem “deepfake” do papa com jaqueta inflável tornou-se um momento marcante para o desenvolvimento da IA e da Inteligência Artificial Generativa, mostrando o poder da nova tecnologia para manipular imagens.
Francisco abordou isto quando alertou no início deste ano sobre a desinformação e a propagação de imagens que “parecem perfeitamente plausíveis, mas falsas”. Ele salientou: “Eu também fui alvo disso.”
Não foi apenas a imagem do casaco inflável: o papa tem sido repetidamente alvo de deepfakes, com imagens geradas por computador circulando dele andando de skate, andando de motocicleta e até mesmo se misturando no festival Burning Man, em Nevada.
É claro que Francisco vê a IA como parte daquilo que chamou de “mudança de época” que está ocorrendo no início do século XXI.
A sua decisão de participar na cúpula do G7 indica que deseja que a Igreja esteja no centro das discussões sobre como esta mudança se desenrola e que ajude a garantir que as novas tecnologias possam beneficiar toda a humanidade.
Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.
versão original
As principais notícias e o melhor do nosso conteúdo, direto no seu email. Escolha a newsletter e inscreva-se!
Mais Recentes da CNN

source

Compartilhe:

Picture of Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria, aos 27 anos, é a mente criativa por trás da produção de textos da Kriahtiva. Com uma paixão inigualável pelo universo online, seus textos são faróis de inspiração, navegando pelos mares do marketing digital com inovação e expertise. Em cada artigo, ele transforma conceitos complexos em leituras envolventes, guiando os leitores por uma jornada única de descobertas no vasto mundo do marketing.

Sobre o autor

Picture of Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria, aos 27 anos, é a mente criativa por trás da produção de textos da Kriahtiva. Com uma paixão inigualável pelo universo online, seus textos são faróis de inspiração, navegando pelos mares do marketing digital com inovação e expertise. Em cada artigo, ele transforma conceitos complexos em leituras envolventes, guiando os leitores por uma jornada única de descobertas no vasto mundo do marketing.

Veja também

mais acessados

On Key

Related Posts

Papa participará dos debates do G7 sobre Inteligência Artificial; entenda – CNN Brasil