• Home
  • Notícias
  • Pages
  • Microsoft entra na mira de regulador dos EUA após acordo com startup de IA – CNN Brasil

Microsoft entra na mira de regulador dos EUA após acordo com startup de IA – CNN Brasil

seg – sex

Apresentação

Ao vivo
A seguir
Comissão Federal de Comércio e Departamento de Justiça dos EUA buscam alinhamento para investigar práticas de big techs sobre IA
Brian Fungda CNN
Washington
A Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (FTC) está investigando um acordo recente da Microsoft com a startup de inteligência artificial Inflection, de acordo com uma pessoa familiarizada com o assunto, à medida que os reguladores antitruste do país aumentam a pressão sobre quente indústria de IA.
A Microsoft anunciou em março que contratou os cofundadores da Inflection e vários de seus funcionários para liderar seu programa Copilot, e a Inflection disse que seu modelo de IA seria hospedado na plataforma de nuvem da Microsoft.
Como parte desse acordo, a Microsoft teria pago à Inflection US$ 650 milhões. Em seu anúncio na época, a Microsoft descreveu a mudança apenas como uma decisão de contratação, não como uma aquisição.
A investigação da FTC sobre a Microsoft mira se o investimento da empresa na Inflection constituiu uma aquisição que a Microsoft não divulgou ao governo, disse uma das fontes.
A investigação ocorre no momento em que autoridades antitruste da FTC e do Departamento de Justiça (DOJ) estão se aproximando de um acordo final esta semana sobre como supervisionar conjuntamente gigantes de IA como Microsoft, Google, Nvidia, OpenAI e outros, disseram à CNN duas pessoas familiarizadas com o assunto.
Leia Mais
Esse acordo, que poderia ser finalizado em poucos dias, nomearia o DOJ como o principal investigador da Nvidia, enquanto a FTC assumiria a responsabilidade de investigar a Microsoft e a OpenAI, disseram as fontes.
O DOJ provavelmente continuará seu papel na supervisão do Google, indicou uma das pessoas. Quaisquer investigações iriam se concentrar em saber se as empresas utilizaram as suas posições dominantes na indústria da IA ​​para prejudicar a concorrência através de comportamento abusivo e ilegal.
O acordo mostra que as autoridades estão preparadas para uma ampla repressão a alguns dos intervenientes mais conhecidos no setor da IA, disse Sarah Myers West, diretora-gerente do AI Now Institute e ex-conselheira de IA da FTC.
“Processos de liberação como esse geralmente são uma etapa fundamental antes do avanço de uma investigação”, disse West. “Este é um sinal claro de que eles estão se movendo rapidamente aqui.”
A Microsoft não quis comentar o acordo DOJ-FTC, mas, em comunicado, defendeu sua parceria com a Inflection.
“Nossos acordos com a Inflection nos deram a oportunidade de recrutar indivíduos para a Inflection AI e construir uma equipe capaz de acelerar o Microsoft Copilot, ao mesmo tempo que permitiu que a Inflection continuasse perseguindo seu negócio independente e ambição como um estúdio de IA”, disse um porta-voz da Microsoft, acrescentando que o a empresa está “confiante” de que cumpriu as suas obrigações de reporte.
A Inflection e o Google não responderam imediatamente a um pedido de comentário; Nvidia e OpenAI não quiseram comentar.
O DOJ e a FTC não quiseram comentar. O acordo FTC-DOJ foi relatado anteriormente pelo The New York Times; a investigação da FTC sobre a Microsoft foi relatada anteriormente pelo The Wall Street Journal.
A presidente da FTC, Lina Khan, alertou em artigos de opinião e depoimentos no Congresso que, se não for controlada, a inteligência artificial poderá “turbinar” fraudes.
A agência publicou vários lembretes e avisos de que as empresas podem ser responsabilizadas por fazerem afirmações enganosas sobre as suas ferramentas de IA ou por utilizarem secretamente dados de consumidores para treinar modelos de IA.
A FTC está atualmente investigando as práticas de licenciamento de conteúdo de IA do Reddit e investigando separadamente a OpenAI por possíveis violações da lei de proteção ao consumidor.
O acordo de divisão do trabalho das agências dos EUA abre a porta a investigações mais intensivas de um setor que energizou os investidores, encantou os consumidores e fez soar o alarme entre os críticos que dizem que a IA precisa urgentemente de regulamentação para evitar a deslocação generalizada de empregos, a discriminação e a fraude.
Especificamente, o acordo atribui funções à FTC e ao DOJ para analisar se os gigantes da tecnologia e as empresas de IA estão se comportando de forma anticompetitiva.
Ele também destaca como as autoridades estão cada vez mais a tentar aplicar as leis existentes à indústria, à medida que diminuem as perspectivas de novas leis dos EUA que regem a IA.
Os Estados Unidos são amplamente vistos como retardatários na regulamentação da IA, uma vez que outros países, como a União Europeia, ultrapassaram-no com regras rígidas sobre como a tecnologia pode ser utilizada em contextos de alto risco.
A Lei da UE sobre IA, por exemplo, proíbe sistemas de pontuação social alimentados por IA e quaisquer ferramentas baseadas em biometria usadas para adivinhar a raça, tendências políticas ou orientação sexual de uma pessoa.
A legislação também proíbe o uso de IA para interpretar as emoções das pessoas nas escolas e locais de trabalho, bem como alguns tipos de perfis automatizados destinados a prever a probabilidade de uma pessoa cometer crimes futuros.
Durante anos, os críticos e reguladores da tecnologia preocuparam-se com a possibilidade de as grandes empresas de tecnologia estarem monopolizando setores inteiros da economia. Isso levou a processos antitruste de alto perfil do governo dos EUA contra Amazon, Apple, Google, Meta e Microsoft.
Alguns temem que as empresas de tecnologia possam abusar dos seus papéis poderosos nos negócios e na sociedade para estender o seu domínio ao campo de rápido crescimento da IA ​​generativa, que explodiu em 2022, quando a OpenAI lançou o ChatGPT.
A alta dos preços das ações da Nvidia serviu como um barômetro do frenesi da IA, ressaltando a posição da empresa como fornecedora líder de chips de computação necessários para o treinamento de modelos avançados de IA.
Na quarta-feira (5), a Nvidia se tornou a segunda maior empresa de capital aberto dos Estados Unidos, terminando o dia com uma capitalização de mercado de mais de US$ 3 trilhões e superando a Apple.
“A IA depende de enormes quantidades de dados e poder de computação, o que pode dar às empresas já dominantes uma vantagem substancial”, disse o chefe antitruste do DOJ, Jonathan Kanter, na semana passada, em um discurso na Universidade de Stanford, acrescentando que a dependência dos americanos de apenas um punhado de tecnologia os gigantes poderiam permitir-lhes “controlar estes novos mercados”.
Uma forma de os gigantes da tecnologia exercerem influência anticompetitiva no setor da IA, dizem os críticos, é através de parcerias exclusivas com startups de IA.
Os acordos podem potencialmente “reter” os criadores de IA como clientes de grandes serviços de computação em nuvem e dar aos gigantes da tecnologia participações ou influência significativas sobre o desenvolvimento da IA.
Esses tipos de acordos, incluindo o relacionamento da Microsoft com a OpenAI, são objeto de um estudo em andamento da FTC anunciado em janeiro.
O DOJ também tem se tornado cada vez mais ativo em questões de IA. Em 2022, a divisão antitruste da agência contratou Susan Athey, professora da Universidade de Stanford e especialista em IA, para ser sua economista-chefe.
Ao analisar a concorrência na indústria da IA, as autoridades antitrust deveriam aprender lições sobre como os gigantes da tecnologia se comportaram de forma anticompetitiva no passado, disse Athey à CNN num evento recente em Washington organizado pela Bloomberg News.
Isso pode incluir tácticas de controle ou de estrangulamento, tornando mais difícil aos consumidores ou clientes mudar de fornecedor, ou tornar-se o maior comprador de fornecimentos essenciais – como chips de IA, por exemplo – e negar esses fornecimentos necessários a rivais concorrentes.
“Devíamos olhar para trás, para análogos históricos e ver onde estiveram as fontes de poder de mercado e como as pessoas as preservaram, e esses são os tipos de tácticas com que nos podemos preocupar no futuro”, disse Athey.
O fato de o DOJ estar assumindo a supervisão da Nvidia por parte da FTC é particularmente notável, disse West à CNN.
“É possível que isso signifique que penalidades criminais estejam agora em jogo, porque essa é uma das ferramentas que o DOJ carrega exclusivamente.”
Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.
versão original
As principais notícias e o melhor do nosso conteúdo, direto no seu email. Escolha a newsletter e inscreva-se!
Mais Recentes da CNN

source

Compartilhe:

Picture of Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria, aos 27 anos, é a mente criativa por trás da produção de textos da Kriahtiva. Com uma paixão inigualável pelo universo online, seus textos são faróis de inspiração, navegando pelos mares do marketing digital com inovação e expertise. Em cada artigo, ele transforma conceitos complexos em leituras envolventes, guiando os leitores por uma jornada única de descobertas no vasto mundo do marketing.

Sobre o autor

Picture of Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria, aos 27 anos, é a mente criativa por trás da produção de textos da Kriahtiva. Com uma paixão inigualável pelo universo online, seus textos são faróis de inspiração, navegando pelos mares do marketing digital com inovação e expertise. Em cada artigo, ele transforma conceitos complexos em leituras envolventes, guiando os leitores por uma jornada única de descobertas no vasto mundo do marketing.

Veja também

mais acessados

On Key

Related Posts

Microsoft entra na mira de regulador dos EUA após acordo com startup de IA – CNN Brasil