• Home
  • Notícias
  • Pages
  • Hospital de Clínicas usa Inteligência Artificial para reduzir lesão por pressão na UTI Coronariana – Agência Pará de Notícias

Hospital de Clínicas usa Inteligência Artificial para reduzir lesão por pressão na UTI Coronariana – Agência Pará de Notícias

Ferramenta adotada desde abril já ajudou a reduzir em 100% a incidência de escaras entre pacientes que precisam ficar nos leitos por longos períodos
UTI Coronariana do Hospital de Clínicas: cuidados redobrados para evitar as lesõesA equipe da Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Vianna (HC) responsável pelos atendimentos na UTI Coronariana (destinada a pacientes cardíacos) conseguiu reduzir os casos de úlcera por pressão utilizando um equipamento conectado à Inteligência Artificial (I.A.). A úlcera por pressão, ou escara, é o dano ao tecido ou à pele que ocorre quando há uma diminuição da circulação sanguínea provocada pela pressão aplicada a uma área específica. Pacientes que, por necessidade do tratamento, precisam ficar imóveis, acabam por desenvolver escaras, geralmente nos calcanhares, tornozelos, quadris e no cóccix.
A forma de evitar o problema é a mudança de posição do paciente. Porém, mesmo com esse cuidado constante, os casos de escaras fazem parte da rotina de uma UTI. Por isso, a equipe encontrou um aliado para intensificar os cuidados na prevenção à úlcera por pressão: um equipamento de I.A., que alerta a equipe para a necessidade de mobilizar o paciente. Os primeiros resultados já apareceram em junho, quando a equipe comemorou a marca de quase 80 dias sem nenhum registro de paciente com lesão por pressão. Quadro do reconhecimento: palavras que retratam a gratidão pelo empenho da equipe da UTI Coronariana
Segundo o cardiologista Ricardo Palheta, que atende na UTI, a lesão por pressão é uma intercorrência que preocupa as equipes médicas dos hospitais, especialmente nas unidades de Terapia Intensiva, “porque o surgimento dessas lesões, que são inesperadas, mas ocorrem, aumenta o risco do paciente, o risco de mortalidade, de infecção”. Ainda segundo o cardiologista, ”quando o paciente fica muito tempo numa única posição, acabam ocorrendo lesões, principalmente na região sacral”.
Cardiologista Ricardo Palheta: lesões aumentam riscos para os pacientesEntre as medidas criadas para minimizar o risco e o surgimento dessas lesões está a utilização da I.A. e de sistemas para a contagem dos dias sem o registro das escaras. O uso da ferramenta se dá, desde abril, por meio de um equipamento programado para tocar uma música a cada duas horas, alertando a equipe para a necessidade de mover o paciente, de um lado para outro, para que a circulação fique livre, evitando a falta de oxigenação da pele, o que causa o surgimento da lesão.
Estímulo – Antes da utilização do novo sistema de alerta e monitoramento a incidência de lesões era alta para os padrões aceitáveis em uma UTI. “A gente chegou ao ponto de ter uma lesão por semana, e isso é muito”, informou o médico. O primeiro passo para mudar foi a motivação da equipe responsável pelo atendimento dos pacientes no leito. Para isso, foi afixado um placar no quadro de avisos, no qual a equipe pode checar os dias transcorridos sem o registro de úlceras por pressão. Isso, segundo o cardiologista, “acaba estimulando a equipe, que passa a procurar aumentar os dias sem o surgimento de lesões, e dessa forma, alcançando a nossa meta”.
Cardiologista Alaís Brito destaca a preparação da equipeA cardiologista Alais Brito, que junto com a médica Valléria Galucio foi responsável pelo introdução do sistema, explicou que o alerta veio para se juntar à rotina de mudança dos pacientes de posição para evitar as lesões.” É interessante ter um som para lembrar a mudança de corpo, já que a gente fala sempre em mudança de corpo, mas às vezes um ou outro paciente ficava sem a mudança. Agora, a cada duas horas, todos os dez pacientes são movimentados”, disse a especialista.
Outra forma de prevenção às escaras é a utilização da tabela afixada sobre o leito do paciente, que informa para qual lado os pacientes devem ser mudados. “Nós temos treinamento com a equipe explicando também que isso é importante. Sempre é bom explicar para a equipe o porquê de fazer aquilo, porque é importante prevenção de pressão para o paciente não ficar mais tempo internado, para não infectar, para diminuir a mortalidade”, enfatizou a cardiologista.
Enfermeira Thais Machado: em busca da meta de 100 diasSegundo a chefe da Enfermagem da UTI, Thais Machado, “nós conseguimos atingir metas importantes, que nunca tínhamos conseguido anteriormente. Nós chegamos a conquistar 30 dias sem nenhuma lesão por pressão. Nós tivemos uma premiação. Foram dados equipamentos para a nossa copa, para o uso de toda a equipe. Quando nós atingimos 60 dias, também tivemos outra doação”.
Em junho, a equipe alcançou a marca de 78 dias sem nenhum caso de lesão por pressão na unidade. “Nossa equipe toda está de parabéns, e nós vamos melhorar ainda mais o nosso plano de ação, para que nós consigamos atingir a meta dos 100 dias. Nós vamos perseguir, nós conseguiremos atingir nosso objetivo com melhorias na nossa assistência e supervisão”, ressaltou a enfermeira Thais Machado.O equipamento que ajuda a equipe no cuidado com os pacientes
Agradecimento – Essa dedicação é reconhecida pelos pacientes atendidos na UTI Coronariana, que junto com seus acompanhantes registram a gratidão em bilhetes, afixados em um quadro denominado “Memórias no caminho dos pacientes”, que fica no corredor de acesso à UTI.
Os bilhetes, que vão ocupando o quadro, palavras e declarações emocionadas, retratando fé e agradecimento aos médicos e à equipe da Unidade, são a recompensa aos responsáveis pelo atendimento prestado no Hospital de Clínicas.
Texto: Felipe Gillet – Ascom/HC
INTERAÇÃO
2° Arrasta TEA anima usuários, acompanhantes e profissionais na Policlínica Lago de Tucuruí
EDUCAÇÃO PÚBLICA
Formação para educação especializada e ensino regular reúne mais de 400 profissionais
SUSTENTABILIDADE
Hospital Galileu mantém academia com aparelhos feitos de materiais recicláveis
OPERAÇÃO VERÃO 2024
Segup reúne com mais de 200 comerciantes para alinhamento de ações de segurança
SEGURANÇA
Indígenas do Território Alto Rio Guamá aprendem técnicas de brigada de incêndios
SOCIALIZAÇÃO
‘Arraiá Inclusivo’ no Cetea encerra com exposição, quadrilha e Arrastão do Pavulagem
SAÚDE PÚBLICA
Hospital Regional de Marabá alerta sobre riscos de Diabetes em gestantes
SAÚDE
Especialistas da Santa Casa orientam sobre cuidados com a saúde no calor das férias de julho no Pará

source

Compartilhe:

Picture of Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria, aos 27 anos, é a mente criativa por trás da produção de textos da Kriahtiva. Com uma paixão inigualável pelo universo online, seus textos são faróis de inspiração, navegando pelos mares do marketing digital com inovação e expertise. Em cada artigo, ele transforma conceitos complexos em leituras envolventes, guiando os leitores por uma jornada única de descobertas no vasto mundo do marketing.

Sobre o autor

Picture of Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria, aos 27 anos, é a mente criativa por trás da produção de textos da Kriahtiva. Com uma paixão inigualável pelo universo online, seus textos são faróis de inspiração, navegando pelos mares do marketing digital com inovação e expertise. Em cada artigo, ele transforma conceitos complexos em leituras envolventes, guiando os leitores por uma jornada única de descobertas no vasto mundo do marketing.

Veja também

mais acessados

On Key

Related Posts

Hospital de Clínicas usa Inteligência Artificial para reduzir lesão por pressão na UTI Coronariana – Agência Pará de Notícias