• Home
  • Notícias
  • Pages
  • Fiesc debate critérios para adoção de projetos de inteligência artificial – OCP News

Fiesc debate critérios para adoção de projetos de inteligência artificial – OCP News

Imagem ilustrativa | Pixabay
Por: Pedro Leal
20/06/2024 – 17:06 – Atualizada em: 20/06/2024 – 17:45
ssencial para ampliar a produtividade e competitividade, a transformação digital é tema recorrente entre empresários catarinenses e o debate sobre a adoção de tecnologias de inteligência artificial tem centrado a atenção das indústrias, que não querem ficar para trás ou perder oportunidades.
Mas parte relevante da discussão pode estar ficando de lado: minha empresa está madura o suficiente na cultura de dados para adotar ferramentas de IA? E mais importante: que problema meu negócio pretende resolver com inteligência artificial? Essa é a avaliação de Joni Hoppen, diretor da Aquarela, empresa catarinense especializada em Inteligência Artificial e Analytics, que participou nesta quinta-feira (21), de reunião da Câmara de Tecnologia, Informação e Comunicação da Federação das Indústrias de SC (FIESC).
As ferramentas de IA são capazes desde a automação de tarefas simples até análises avançadas de dados e tomada de decisões. Não funcionam, no entanto, sem uma robusta e confiável base de dados. É por isso que a empresa precisa entender qual seu grau de maturidade na coleta, tratamentos e análise de dados. Além disso, segundo Hoppen, precisa ter uma noção muito clara do problema que se pretende resolver. Para o presidente da Câmara, Alexandre d’Ávila da Cunha, a adoção de determinada tecnologia deve sempre partir do problema, e não de modismos.
Isso porque, dentre as soluções de IA disponíveis no mercado, existem especificidades: enquanto umas focam na linguagem (chat GPT, por exemplo), outras podem oferecer soluções mais adequadas para quem usa automação de processos, sensores e robótica no chão de fábrica.
Nem todas as empresas podem ou precisam ter projetos complexos de AI para serem inovadoras. É possível inovar fazendo mais com menos, segundo o professor da Univali André Mores dos Santos. Esse é o conceito da inovação frugal, que nasceu em países desenvolvidos para resolver problemas da população em um ambiente de restrição de recursos.
Para desenvolver um novo produto ou serviço, a empresa pode “pular etapas” de desenvolvimento usando o conhecimento que já está disponível, já que a pesquisa para partir do zero é custosa e demorada. O professor destaca que a pesquisa de patentes e a exploração a fundo do conhecimento que já existe no mercado é um aliado importante nesse sentido.
O desafio da inovação frugal é reduzir custos de produção e de aquisição, focar nas principais funcionalidades da tecnologia e melhorar o desempenho. Um exemplo disso vem da catarinense Mueller, que está completando 75 anos, e que foi pioneira na fabricação de máquinas de lavar roupas no Brasil, usando materiais disponíveis regionalmente. Inspirado na indústria europeia de fabricação de máquinas de lavar, o fundador da empresa Walter Mueller decidiu solucionar a demanda e criou a Pioneira, a primeira lavadora produzida no Brasil
Santos explica que o conceito está também dentro de grandes corporações, que usam a inovação frugal para oferecer produtos e serviços que atendem mercados antes inexplorados por elas. A gigante multinacional GE desenvolveu um ultrassom portátil para atender o mercado chinês, focando nos principais atributos e funcionalidades, o que permitiu reduzir o custo em oito vezes.
Notícias no celular
Pedro Leal
Analista de mercado e mestre em jornalismo (universidades de Swansea, País de Gales, e Aarhus, Dinamarca).
52 minutos atrás
1 hora atrás
1 hora atrás
3 horas atrás
3 horas atrás
3 horas atrás
© Copyright 1996 – 2024 – ocp.news | Todos os direitos reservados
Desenvolvimento feito por AUIN Tecnologia

source

Compartilhe:

Picture of Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria, aos 27 anos, é a mente criativa por trás da produção de textos da Kriahtiva. Com uma paixão inigualável pelo universo online, seus textos são faróis de inspiração, navegando pelos mares do marketing digital com inovação e expertise. Em cada artigo, ele transforma conceitos complexos em leituras envolventes, guiando os leitores por uma jornada única de descobertas no vasto mundo do marketing.

Sobre o autor

Picture of Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria, aos 27 anos, é a mente criativa por trás da produção de textos da Kriahtiva. Com uma paixão inigualável pelo universo online, seus textos são faróis de inspiração, navegando pelos mares do marketing digital com inovação e expertise. Em cada artigo, ele transforma conceitos complexos em leituras envolventes, guiando os leitores por uma jornada única de descobertas no vasto mundo do marketing.

Veja também

mais acessados

On Key

Related Posts

Fiesc debate critérios para adoção de projetos de inteligência artificial – OCP News