• Home
  • Notícias
  • Pages
  • Emissões de poluentes do Google crescem 50% com avanço da inteligência artificial – UOL

Emissões de poluentes do Google crescem 50% com avanço da inteligência artificial – UOL

Acesse seus artigos salvos em
Minha Folha, sua área personalizada
Acesse os artigos do assunto seguido na
Minha Folha, sua área personalizada

benefício do assinante
Você tem 7 acessos por dia para dar de presente. Qualquer pessoa que não é assinante poderá ler.
benefício do assinante
Assinantes podem liberar 7 acessos por dia para conteúdos da Folha.
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Gostaria de receber as principais notícias
do Brasil e do mundo?
benefício do assinante
Você tem 7 acessos por dia para dar de presente. Qualquer pessoa que não é assinante poderá ler.
benefício do assinante
Assinantes podem liberar 7 acessos por dia para conteúdos da Folha.
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
As emissões de gases de efeito estufa do Google aumentaram 48% nos últimos cinco anos devido à expansão de seus data centers que sustentam sistemas de inteligência artificial, colocando em dúvida seu compromisso de atingir o “net zero” —zerar a emissão líquida de poluentes— até 2030.
A poluição da empresa do Vale do Silício totalizou 14,3 milhões de toneladas de carbono equivalente em 2023, um aumento de 48% em relação à base de 2019 e um aumento de 13% desde o ano passado, disse o Google em seu relatório ambiental anual divulgado nesta terça-feira (2).
O Google disse que o aumento destaca “o desafio de reduzir as emissões” enquanto investe na expansão de grandes modelos de linguagem e em infraestrutura, admitindo que “o impacto ambiental futuro da IA” é “complexo e difícil de prever”.
A diretora de sustentabilidade do Google, Kate Brandt, disse que a empresa permanece comprometida com a meta de 2030, mas enfatizou a natureza “extremamente ambiciosa” do objetivo.
“Ainda esperamos que nossas emissões continuem a aumentar antes de diminuir em direção ao nosso objetivo”, disse Brandt.
Ela acrescentou que o Google está “trabalhando muito duro” para reduzir suas emissões, inclusive assinando acordos de energia limpa. Brandt também disse que há uma “tremenda oportunidade para soluções climáticas habilitadas pela IA”.
Receba no seu email o que de mais importante acontece na economia; aberta para não assinantes.
Carregando…
Enquanto gigantes da tecnologia como Google, Amazon e Microsoft traçam planos para investir dezenas de bilhões de dólares em IA, especialistas em clima levantam preocupações sobre os impactos ambientais desses sistemas intensivos em energia.
Em maio, a Microsoft admitiu que suas emissões haviam aumentado quase 33% desde 2020, em grande parte devido à construção de data centers. No entanto, o cofundador da Microsoft, Bill Gates, argumentou na semana passada que a IA ajuda a impulsionar soluções climáticas.
Enquanto isso, restrições à geração e transmissão de energia já estão representando um desafio para as empresas que buscam expandir a tecnologia.

Analistas da Bernstein disseram em junho que a IA “dobraria a taxa de crescimento da demanda de eletricidade nos EUA e o consumo total poderia superar a oferta atual nos próximos dois anos”.
No relatório desta terça, o Google disse que suas emissões relacionadas à energia em 2023 —que vêm principalmente do consumo de eletricidade dos data centers— aumentaram 37% em relação ao ano anterior e representaram um quarto de suas emissões totais de gases de efeito estufa.
As emissões da cadeia de suprimentos do Google —a maior parte, representando 75% de suas emissões totais— também aumentaram 8%. O Google disse que elas “continuarão a aumentar no curto prazo” como resultado, em parte, da expansão da infraestrutura necessária para executar sistemas de IA.
O Google se comprometeu a atingir o zero líquido em todas as suas emissões diretas e indiretas de gases de efeito estufa e usar somente energia limpa até 2030.
Um guia do New York Times em formato de newsletter para você entender como funciona a IA
Carregando…
No entanto, a empresa alertou no relatório de terça-feira que o “cancelamento” de alguns projetos de energia limpa durante 2023 reduziu a quantidade de energias renováveis às quais tinha acesso.
Enquanto isso, o consumo de eletricidade dos data centers da empresa havia “superado” a capacidade do Google de disponibilizar mais projetos de energia limpa nos EUA e na região da Ásia-Pacífico.
O consumo de eletricidade dos data centers do Google aumentou 17% em 2023 e representou aproximadamente 7-10% do consumo global de eletricidade dos data centers, estimou a empresa. Seus data centers também consumiram 17% mais água em 2023 do que no ano anterior, disse o Google.
benefício do assinante
Você tem 7 acessos por dia para dar de presente. Qualquer pessoa que não é assinante poderá ler.
benefício do assinante
Assinantes podem liberar 7 acessos por dia para conteúdos da Folha.
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Leia tudo sobre o tema e siga:
Você já conhece as vantagens de ser assinante da Folha? Além de ter acesso a reportagens e colunas, você conta com newsletters exclusivas (conheça aqui). Também pode baixar nosso aplicativo gratuito na Apple Store ou na Google Play para receber alertas das principais notícias do dia. A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo independente e de qualidade. Obrigado!
Mais de 180 reportagens e análises publicadas a cada dia. Um time com mais de 200 colunistas e blogueiros. Um jornalismo profissional que fiscaliza o poder público, veicula notícias proveitosas e inspiradoras, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?
Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Carregando…
Carregando…
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Ministro esteve com Lula, que afirmou que responsabilidade fiscal é compromisso, dias após pôr corte de gastos em xeque
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Priscila Camazano conversa com Fernanda Perrin, correspondente da Folha nos EUA
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Programa para 2024 e 2025 é lançado em momento de atrito com agronegócio por leilão do arroz
Copyright Folha de S.Paulo. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.

O jornal Folha de S.Paulo é publicado pela Empresa Folha da Manhã S.A. CNPJ: 60.579.703/0001-48
Copyright Folha de S.Paulo. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.
Cadastro realizado com sucesso!
Por favor, tente mais tarde!

source

Compartilhe:

Picture of Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria, aos 27 anos, é a mente criativa por trás da produção de textos da Kriahtiva. Com uma paixão inigualável pelo universo online, seus textos são faróis de inspiração, navegando pelos mares do marketing digital com inovação e expertise. Em cada artigo, ele transforma conceitos complexos em leituras envolventes, guiando os leitores por uma jornada única de descobertas no vasto mundo do marketing.

Sobre o autor

Picture of Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria, aos 27 anos, é a mente criativa por trás da produção de textos da Kriahtiva. Com uma paixão inigualável pelo universo online, seus textos são faróis de inspiração, navegando pelos mares do marketing digital com inovação e expertise. Em cada artigo, ele transforma conceitos complexos em leituras envolventes, guiando os leitores por uma jornada única de descobertas no vasto mundo do marketing.

Veja também

mais acessados

On Key

Related Posts

Emissões de poluentes do Google crescem 50% com avanço da inteligência artificial – UOL