• Home
  • Notícias
  • Pages
  • CNJ quer ouvir magistrados e servidores sobre uso da inteligência artificial no PJ – Tribunal de Justiça de Santa Catarina

CNJ quer ouvir magistrados e servidores sobre uso da inteligência artificial no PJ – Tribunal de Justiça de Santa Catarina

Siga-nos nas mídias sociais:
Siga-nos nas mídias sociais:
12 Junho 2024 | 11h06min
O Tribunal de Justiça de Santa Catarina conclama magistrados, magistradas, servidores e servidoras a contribuírem  para uma pesquisa sobre a utilização da inteligência artificial generativa (IAG) no Poder Judiciário, proposta pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O instrumento pretende compreender experiências, opiniões e sugestões das pessoas que atuam diretamente no Judiciário sobre os recursos oferecidos por esses tipos de ferramentas.
A análise dos dados será feita pelo CNJ, por meio do Departamento de Pesquisas Judiciárias (DPJ). O 1º diagnóstico sobre uso de IAG no Poder Judiciário deverá auxiliar nas decisões da administração judiciária a respeito do tema. Interessados e interessadas podem preencher o formulário, que leva pouco mais de cinco minutos para ser totalmente respondido, até o dia 15 de junho. O link da plataforma com os questionamentos será enviado aos juízes e servidores pelo PJSC.
O presidente da Comissão de Tecnologia da Informação e Inovação do CNJ, conselheiro Luiz Fernando Bandeira de Mello Filho, destacou que as inovações tecnológicas como as promovidas pelas IAGs não podem escapar aos olhos do CNJ. “O Conselho Nacional de Justiça busca continuamente alcançar a eficiência e propiciar um ambiente adequado para a prestação judiciária de qualidade e com celeridade à população”, afirmou.
Ele reforçou que os investimentos em inteligência artificial no Judiciário trarão benefícios tanto em atividades elementares, como a transcrição de depoimentos em audiências, quanto em ações mais robustas, como a pesquisa de jurisprudência. “A ideia é oferecer subsídios tecnológicos ao juiz, já que as inteligências artificiais têm a capacidade de captar e entregar de forma rápida as principais questões em determinado caso”, comentou Bandeira de Mello.
O conselheiro lembrou que a colaboração será fundamental para o aperfeiçoamento da regulação e para o aprimoramento dos serviços prestados pelo Poder Judiciário (com informações do CNJ). 
Copiar o link desta notícia.
CNPJ: 83.845.701/0001-59
Segunda a sexta das 12h às 19h
Telefone: (48) 3287-1000
Siga-nos nas mídias sociais:

source

Compartilhe:

Picture of Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria, aos 27 anos, é a mente criativa por trás da produção de textos da Kriahtiva. Com uma paixão inigualável pelo universo online, seus textos são faróis de inspiração, navegando pelos mares do marketing digital com inovação e expertise. Em cada artigo, ele transforma conceitos complexos em leituras envolventes, guiando os leitores por uma jornada única de descobertas no vasto mundo do marketing.

Sobre o autor

Picture of Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria - Redação Kriahtiva

Marcelo Faria, aos 27 anos, é a mente criativa por trás da produção de textos da Kriahtiva. Com uma paixão inigualável pelo universo online, seus textos são faróis de inspiração, navegando pelos mares do marketing digital com inovação e expertise. Em cada artigo, ele transforma conceitos complexos em leituras envolventes, guiando os leitores por uma jornada única de descobertas no vasto mundo do marketing.

Veja também

mais acessados

On Key

Related Posts

CNJ quer ouvir magistrados e servidores sobre uso da inteligência artificial no PJ – Tribunal de Justiça de Santa Catarina